Coluna da Thay

Deus espera o nosso primeiro passo, porque ele quer ver o nosso amor e a nossa fé.

Um puro coração

O Senhor deve ser a fonte de confiança de todo cristão!

Meu Guia de Sobrevivência

último texto da Colunista para o UNIDAR Blog

Crônicarte!

A Última Crônica e retrospectiva UNIDAR 2012

  • RSS
  • Orkut
  • Flickr
  • Facebook
  • Twitter
  • Tumblr
  • Youtube

De quem escreve, para quem lê.

13:18



Administrar um blog é uma missão difícil! Sim, mas não é impossível, principalmente quando você ama o que faz.

Querido leitor, responda-me esta pergunta: É bom anunciar a Palavra do Senhor para o mundo? Espero que a sua resposta seja dada com todo entusiasmo, da mesma forma que eu tenho ao escrever este texto e ao pensar nessa resposta. É claro que sim! Afinal, ao sermos transformados, carregamos um “gene” que nos impulsiona a pregar.

Essa é a nossa missão: anunciar, proclamar, transmitir a Palavra para todos, através desta ferramenta – o UNIDAR Blog. Alcançamos resultados que, aos nossos olhos, pareciam impossíveis, e, até hoje, eu me pergunto: Como? Mas sabemos bem a resposta.

Amamos fazer este trabalho. Escrever para vocês é sempre bom! Mas nem tudo é para sempre. Calma! Vou explicar melhor. Estamos encerrando as atividades deste ano, nesta quarta-feira, dia 19. E retornaremos apenas em janeiro, só que “mudados”. A nossa equipe está se despedindo das produções textuais aqui, no blog. Em 2013, uma nova equipe chega para assumir o nosso lugar. Mas não pense que a nossa história acaba aqui! Não vamos mais escrever, mas ainda estaremos presente nos bastidores do blog, preparando, com a nova equipe, muita coisa boa.

Ao longo desses quase dois anos de trabalho, eu aprendi muito e, assim como toda a equipe, senti o peso da responsabilidade crescendo a cada vez que você acessava o blog. Realmente foi um prazer tê-lo como leitor. Obrigado! Espero que, quando você voltar aqui, em 2013, você diga: como tudo ficou melhor!

Glória a Deus por isso! A obra é dele, eu sou dele, você é dele! E o trabalho precisa continuar.

Encontre-nos na nossa página do Facebook, que funcionará todos os dias.
Um forte abraço!
O editor.

A Última Crônica

11:07



E o fim do dia havia chegado. Foi um longo dia, mas ele o tinha aproveitado bastante!
Acordou cedo, foi correr na beira da praia, voltou para casa e tomou um banho, engoliu um café e foi para seu último dia de aula! Ah, como era boa a sensação de “chegada de férias”, aquilo deixava Vini muito feliz!

Na escola, ele conversou muito, brincou, relembrou momentos e deu muitas gargalhadas. Até que chegou a hora de ir embora, e ele teve que se despedir dos seus amigos. Ele estudava o terceiro ano, estava terminando, e era, literalmente, seu último dia de aula na escola.

Ele começou a olhar seus amigos, aqueles que passaram o tempo todo com ele, durante o ano, e um fleche de memórias boas foi criando uma apresentação de slides magnífica em seu cérebro. Ele viu Eduardo, viu Marina, lembrou-se do dia em que Leonardo machucou a perna na academia, e quando todos se juntaram para carregá-lo de um lado para outro na escola. Ele viu os momentos em que eles se juntavam para estudar desesperadamente, para tirar boas notas. Aquele era o último momento dele com aqueles colegas, e o próximo contato com eles, agora, seria a distância, ou em encontros rápidos, em alguns finais de semana, quem sabe... Ele sentiria saudade.

Despedidas nunca são legais, e normalmente nos trazem boas lembranças, lágrimas e muita saudade. E não é porque sentiremos falta apenas das pessoas; sentiremos falta da fase que passou, dos momentos bons e do tempo livre que tínhamos; sentiremos falta das horas de conversas e de brincadeiras, dos momentos de cultos abençoados que presenciamos nesse grupo.

Assim, como numa despedida de terceiro ano, ao sairmos da União, sentimos um alívio, pois sabemos que estamos crescendo e amadurecendo, sabemos que estamos progredindo, avançando. Sabemos que Deus irá conosco para nos ajudar, sabemos que Ele não nos abandonará! Mas, fora isso, sentiremos muita falta das pessoas, dos nossos amigos mais jovens, que nos tomam como modelo em alguns aspectos, mas que têm muito para nos ensinar, em todo o momento. Sentiremos falta simplesmente da harmonia que há nesse grupo. Sentiremos falta do afago de nossa mãe Silvanete e dos ensinamentos de nosso pai Josiel. Sentiremos falta do carinho e apoio das tias Asenate, Ísis e Ester. Sentiremos falta da orientação do nosso querido ir. Douglas e do nosso amado Pb. Sameque. Dos ensaios repletos de bênçãos e carões por Tiago e Vasti e do apoio indispensável de Gabriela e Josué. Sentiremos falta de tudo. Mas, aonde quer que nós formos, sempre arderá a chama de amor à UNIÃO. Afinal, foi lá que aprendemos mais de Deus, foi lá que aprendemos como construir a base para nossa vida, desde a época de nossos inesquecíveis e amados Pb. Helmiton e Ir. Norma. Enfim, essa é a última vez que escrevo para o CRÔNICARTE. Não serei mais a cronista, mas sei que sempre haverá postagens maravilhosas aqui, para nos edificar.

Agradeço a Deus pela honra que Ele me deu de escrever aqui, e amo a vocês, todos. Deus abençoe, Paz!

Estamos produzindo frutos bons ou maus?



Paz, minha gente!
Esse dia vai ficar marcado na minha vida. Talvez fique marcado na vida de vocês também. Porque hoje é a decretação oficial de que eu não sou mais colunista do Unidar Blog. Tenho que dar adeus a este quadro, adeus aos meus queridos leitores. Mas eu não quero simplesmente ir e me esquecer dessa experiência (eu nunca vou esquecer). Eu quero que fique bem claro, na mente e no coração de cada um de vocês, a importância de seguir fielmente o nosso Guia de Sobrevivência. É esse Guia que nos levará ao destino final (ou ao começo de tudo) – o tão almejado Céu.

Pensando nisso, eu procurei algum versículo especial pra expor aqui. Mas Jesus me mostrou vários versículos especiais. Se eu pudesse, falaria de todos eles. Ai, como é bom falar da Bíblia! Mas eu vou me conter e deixar apenas uma dica, um aviso.

[...] “toda árvore, pois, que não dá bom fruto é cortada e lançada no fogo.” Lc 3.9b

Queridos, Marcos conta uma história bem interessante, no capítulo 11, do Evangelho escrito por ele. Jesus estava com fome, e chegou perto de uma figueira, que tinha muitas folhas, para colher os frutos. Mas só encontrou folhas mesmo; não era tempo de figos. E aí ele disse: “Nunca mais coma alguém fruto de ti.” No outro dia, os discípulos, que presenciaram o fato anterior, passaram pela mesma figueira e perceberam que ela estava seca até as raízes.

O que a gente pode entender de tudo isso? É que, ao aceitarmos a Jesus Cristo como Salvador, ganhamos muitas “folhas verdinhas”. Chamamos muita atenção por onde quer que passemos. Quando alguém nos vê, logo nos identifica como cristãos. Mas Jesus não quer que sejamos cristãos de boa aparência apenas. Ele procura os nossos frutos. E estamos produzindo frutos bons ou maus? Se você nunca parou pra pensar nisso, é bom começar agora. Essa é a dica do nosso GUIA DE SOBREVIVÊNCIA: toda árvore que não dá bom fruto será cortada e lançada no fogo, e, como a figueira, secará até a raiz. Ninguém quer isso, não é? Então vamos frutificar, queridos. E que os nossos frutos sejam bem docinhos e o que o Senhor se agrade da nossa conduta cristã.

É hora de partir e eu já sinto saudade. Que Deus continue abençoando todos nós.
Amém!

E a gente se vê em 2013!



2012 acabando, já é reta final. É a época de ganhar presentes, fazer aquela ceia farta e reunir a família. Também é a época de olhar pra trás e ver o que fizemos durante o ano, as promessas que cumprimos e as que ainda não conseguimos cumprir, as pessoas que conhecemos e as que nos afastamos.

Sempre tem aquela pessoa que fala: "ah, esse ano não foi muito bom. 2013, me surpreenda!" Sinceramente, 2012 já foi bom; ótimo, eu diria. Só o fato de você ter vida já é um motivo maravilhoso para você agradecer a Deus por mais um ano. Porque tem tanta gente por aí, em hospitais, com doenças graves e pedindo a Deus mais alguns instantes de vida. Por isso temos motivo suficiente para agradecer a Deus por absolutamente tudo.

A mensagem que eu quero passar é que não importa o mal que tenha acontecido esse ano, valeu a pena. As experiências, a maturidade, as amizades, os conhecimentos e várias outras coisas que você ganhou esse ano não há nada que pague, nada que substitua.

É isso aí, pessoal. Que o ano novo, que está chegando, seja de muito mais abençoado. E no próximo ano, voltaremos com várias novidades aqui no Bloblog! 
Paz do Senhor!